Histórico e Contexto de Criação do PPGSP

O Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política foi reconhecido e autorizado pela CAPES em 2015.

O Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política foi reconhecido e autorizado pela CAPES em 2015. O PPGSP está vinculado ao Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro da Universidade Candido Mendes (UCAM), estando intimamente ligado à vocação humanística desta Universidade, que foi uma das pioneiras nos estudos em Pós-Graduação em Ciências Sociais, desde a fundação, em 1969, do Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (IUPERJ), ali abrigado como departamento de Pós-Graduação em Ciências Sociais.

O antigo IUPERJ consolidou-se a partir de meados da década de 1970 como uma instituição de ponta na pesquisa e no ensino de Ciências Sociais no âmbito da pós-graduação no Brasil, implantando em 1980 os programas de doutoramento em Ciência Política e em Sociologia que, ao longo de sua história, formaram mais de 500 mestres e doutores.

No entanto, em 2010, os cursos de Pós-Graduação ligados ao antigo IUPERJ foram descontinuados em consequência da prolongada crise financeira vivida pela instituição nos anos anteriores. As atividades foram completamente interrompidas em meados daquele ano, após a transferência do corpo docente e discente para outra IES. A partir de então, surgiu um cenário inédito na Pós-Graduação no Brasil: uma IES com dois cursos credenciados e avaliados nos patamares mais elevados de classificação da CAPES, porém, sem corpo docente e discente. A alternativa encontrada pela Universidade Candido Mendes, naquela altura, na tentativa de manter funcionando os cursos de Pós-Graduação em Sociologia e Ciência Política foi empreender uma reestruturação de suas bases financeiras e consequentemente acadêmicas.

O processo de reativação dos cursos de Pós-Graduação em Sociologia e Ciência Política do IUPERJ/UCAM começa em 2011, com a constituição de uma nova direção administrativa, recomposição do corpo docente e transferência do Instituto para o prédio do Instituto de Humanidades, que ficava na praça Pio X, no Centro do Rio de Janeiro e que, posteriormente, passou a ser denominado Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (IUPERJ-UCAM). Como já assinalado, ponto nodal para a reativação dos cursos de Pós-Graduação foi a recomposição do corpo docente. Mesmo levando-se em conta, no universo acadêmico dos anos de 2011-2014, a disponibilidade limitada de doutores seniores que conjugassem potencial para produção acadêmica e experiência docente e de pesquisa e, ainda, a maior frequência de concursos para IES públicas, conseguiu-se recompor de forma bastante adequada o quadro de professores dos programas de Sociologia e Ciência Política. Para dar um panorama, entre 2011 e 2014, ingressaram nos dois programas, por meio de concurso público, 12 professores, que se somaram a docentes que já faziam parte do quadro da Universidade e foram credenciados a integrar o corpo docente desses programas.

O empenho no processo de reestruturação dos antigos cursos de Sociologia e Ciência Política cursos de Pós-Graduação do IUPERJ, ainda que não tenha logrado êxito, foi fundamental para alicerçar e amadurecer o projeto do atual Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política.

Nesse sentido, o novo curso de Sociologia Política se beneficia de uma série de elementos fundamentais para a criação e consolidação de um programa de pós-graduação, a saber:

  • Um corpo docente formado por pesquisadores qualificados e com perfil compatível com as exigências da CAPES para um programa de Pós-Graduação; experiência de docência e orientação de pesquisas de pós-graduação (mestrado e doutorado); protagonismo em suas áreas de atuação; e inserção nas associações científicas nacionais e internacionais mais importantes, como International Sociological Association (ISA); Asociación Latinoamericana de Sociología (ALAS); da Latin American Studies Association (LASA); Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais (ANPOCS); Sociedade Brasileira de Sociologia (SBS) e Associação Brasileira de Ciência Política (ABCP), entre outros.
  • Centros de estudo e laboratórios de pesquisa, com destaque para o Centro de Estudos Sociais Aplicados (CESAP); o Laboratório de Estudos da Cidade e da Cultura (LECC); o Laboratório de Estudos da Ciência, Tecnologia e Inovação e Sociedade (LECTIS); e o Laboratório de Tecnologia Social (LTS);
  • Uma biblioteca com mais de 36 mil títulos após a unificação dos acervos bibliográficos do IUPERJ e do Instituto de Humanidades, sendo uma das mais completas bibliotecas em Ciências Sociais do país.

No entanto, a maior herança foi a integração de experiências entres professores pesquisadores que formavam o corpo docente dos programas de Sociologia e Ciência Política em um único projeto de reestruturação. Embora os cursos de Sociologia e Ciência Política fossem independentes, o corpo docente dos programas já trabalhava em cooperação na formulação e implementação da política pedagógica e acadêmica, na oferta de disciplinas comuns, publicações, projetos e laboratórios de pesquisa. A título de exemplo, tem-se:

  • Disciplinas comuns: o plano pedagógico dos antigos cursos previa que as disciplinas Metodologia I e II e Seminários de Tese e Dissertação, comuns aos dois cursos, fossem partilhadas por dois professores, sendo um de cada programa (Sociologia e Ciência Política). Tal expediente, além de possibilitar uma visão mais ampla do leque de abordagens metodológicas, oferecia ao estudante um aprofundamento em técnicas qualitativas e quantitativas de pesquisa social.
  • Assim, quando se instaurou, em dezembro de 2013, uma comissão de professores responsável pela elaboração de um novo APCN, avaliou-se, a partir do histórico de trabalho conjunto mencionado, que a proposição de um curso novo que unificasse os esforços e experiências destes pesquisadores em um só projeto garantir-lhe-ia maior identidade, solidez e originalidade, tendo em vista o cenário da pós-graduação no estado do Rio de Janeiro.

Dessa forma, o Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Política se beneficia não só de um corpo docente com um histórico de estreita cooperação científico-institucional, mas com uma estrutura logística bastante consolidada.

Objetivos Geral e Específico:
O objetivo central do Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política é a formação acadêmica de pesquisadores, no nível de Mestrado, na área de Sociologia Política.

De forma mais especifica, pretendemos qualificar tanto profissionais (professores, pesquisadores) que já atuam em instituições públicas e privadas, quanto discentes recém egressos de áreas afins dos cursos de graduação. Pretende-se ainda reforçar a pesquisa em Sociologia Política no Rio de Janeiro, uma vez que não há, atualmente, na cidade um curso de pós-graduação (mestrado e/ou doutorado) que contenha uma proposta de abordagem interdisciplinar entre os campos da Sociologia e da Ciência Política.

Ainda constituem-se objetivos específicos do PPGSP:

  • Constituir núcleos de pesquisa na área de Sociologia Política que, a partir das abordagens da Sociologia e da Ciência Política, fomentem a produção e difusão do conhecimento científico;
  • Constituir núcleos de pesquisa que integrem docentes-pesquisadores e discentes em diferentes estágios de formação de modo a enriquecer as trocas acadêmicas e ampliar a percepção do fazer sociológico;
  • Integrar-se à comunidade, tanto através da interação quanto da difusão do conhecimento científico, de modo a promover o papel social da universidade;
  • Observar as normas da Capes com relação à produção docente e discente através do incentivo à participação conjunta em congressos e encontros científicos relevantes na área de Ciências Sociais, especialmente da Sociologia e da Ciência Política, à publicação de artigos científicos em periódicos qualificados, à organização de coletâneas e livros autorais;
  • Aumentar a visibilidade internacional da produção acadêmica nacional, estabelecendo convênios, parcerias e intercâmbio docente e discente com instituições universitárias situadas em outros países.
× Ajuda